Artigo de opinião / 05.12.16

Telemedicina - O futuro da medicina (Maria Borges)

Partilhar:

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a telemedicina consiste na prestação de cuidados de saúde por profissionais, onde a distância é um fator crítico, através da utilização de tecnologias de informação e comunicação (TIC) que permitam a troca de informação necessária e válida para o diagnóstico, tratamento e prevenção de doenças. A telemedicina permite, deste modo, o uso das TIC para o acesso universal a cuidados de saúde, permitindo a resolução do problema da saúde global.

Assim sendo, a telemedicina é vista como o futuro da medicina, dado que permitirá a resolução dos problemas de acesso aos cuidados de saúde enfrentados tanto em países em desenvolvimento como em países desenvolvidos (regiões mais remotas e onde o acesso aos cuidados de saúde é mais difícil). Através da telemedicina, estes cidadãos poderão ter acesso a avaliações clínicas, diagnósticos, tratamentos e consultas de acompanhamento, o que contribuirá para a melhoria do acesso e da qualidade dos cuidados de saúde prestados.

A telemedicina apesenta vantagens tanto para profissionais de saúde como para cidadãos, sendo de destacar:

  • Abolição de barreiras geográficas na prestação de cuidados de saúde;
  • Diminuição da sensação de isolamento por parte de profissionais colocados em postos de trabalho remotos;
  • Melhorias na atualização e na partilha de informação;
  • Monitorização, à distância, de doentes em tratamento;
  • Promoção de um ambiente de partilha e de aprendizagem entre profissionais.

A telemedicina surge, então, não como uma substituição dos sistemas de saúde já existentes, mas sim como um complemento dos mesmos. Assim, a telemedicina deve ser encarada como um meio que permite a prestação de cuidados de saúde que respondem às necessidades mais críticas e prioritárias dos cidadãos, no âmbito do seu contexto específico.

 

Maria Borges

Consultora Associada | Healthcare

 

Referências bibliográficas:

Maia, M. R., Correia, A. J. & Lapão, L. V. (2015), Telemedicina - Um meio para a saúde global. Um caminho para o acesso universal à saúde. Instituto de Higiene e Medicina Tropical - Universidade Nova de Lisboa.

Lapão, L. V., Messina, L. A., Ungerer, R. & Campos, F. (2016), "Roteiro estratégico para a telessaúde na CPLP: diagnóstico e prioridades para o desenvolvimento da telessaúde", An Inst Hig Med Trop, N.º 15. Supl. 1, pp. S65-S73

Tags: telemedicina,TIC,sistemas de saúde,cuidados de saúde